Como tudo começou

Ano: 1978.  Extinção do Ato Inconstitucional Nº 5. Começava o processo de abertura política que daria fim à ditadura militar. Ao mesmo tempo, um grupo de  adolescentes se reunia em Brasília para ouvir punk rock. “Naquele tempo, o sujeito ou era hippie ou era playboy. Nós quebramos essa regra. A maioria andava desleixada, usava calças rasgadas”, disse Renato Russo. Os jovens ficaram conhecidos como a Turma da Colina (conjunto de apartamentos na Universidade de Brasília – UnB).  Começava ali a geração do rock brasileiro que marcou os anos 80. “Nesse momento começamos a virar lenda em Brasília”, definiu Renato Russo. A primeira banda a surgir foi o Aborto Elétrico, formado por Felipe Lemos, André Pretorius e o próprio Renato. Com gostos musicais em comum, como Sex Pistols, os três resolveram formar o grupo. “Você gosta dos Sex Pistols?”, perguntou Renato ao encontrar com Pretorius. “Yeah”, respondeu o futuro guitarrista do Aborto Elétrico.

Enquanto Fê esperava sua bateria chegar da Inglaterra, Pretorius e Renato começaram a ensaiar, na Colina,  músicas de bandas como Ramones. Nesses primeiros ensaios surgiram canções como Benzina e Admirável Mundo Novo. Os três começaram a pensar em um nome pra banda. Fê lembrou de um grupo americano que se chamava Eletric Flag ( Bandeira Elétrica) e pensou em algo parecido: bandeira elétrica ou tijolo elétrico. Pretorius teve a ideia: Aborto Elétrico. Um olhou  pra cara do outro e disse “yeah”. Estava formado o Aborto Elétrico, que teria suas iniciais AE pichadas por toda a cidade. A versão contada por Renato Russo de que o nome era referência a uma grávida que perdeu a criança por causa de um cassetete utilizado pela polícia de Brasília é falsa.

O primeiro e único show com Pretorius aconteceu em 11 de janeiro de 1980 no bar Só Cana, no Centro Comercial Gilberto Salomão.  O guitarrista tocou tanto que quebrou a palheta. Seus dedos sangraram, mas ele continuou a apresentação. Filho de um diplomata, Pretorius teve que servir ao Exército na África do Sul. Flávio Lemos, irmão de Fê, entrou como baixista no grupo. Renato Russo virou o guitarrista. A banda começou a ensaiar na casa de Fê e Flávio. Dois grandes clássicos do Aborto foram escritos nessa época: Veraneio Vascaína e Fátima. Também surgiram outras canções como Geração Coca-Cola, Música Urbana, Ficção Científica, Tédio com um T bem grande pra você, Música Urbana e Que País É Esse?

leg02
Renato, Fê e Flavio Lemos

 Os shows começaram a acontecer. A lanchonete Food’s na 110/111 Sul era um dos locais em que a banda tocava.  Na época, o Aborto pedia uma tomada emprestada para ligar os amplificadores na calçada da lanchonete. Foi lá que Dado Villa-Lobos, futuro guitarrista da Legião Urbana, conheceu o Aborto Elétrico. “Uma apresentação elétrica, catarse pura numa cidade onde nada acontecia. Mudou minha vida”, disse Dado.  Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial, também viu pela primeira vez o AE nessa lanchonete.

O local também virou palco para bandas como Os Metralhas, de André Mueller, futuro baixista da Plebe Rude e a Blitz 64, que  se formou seis meses após o Aborto. Nesse mesmo local, Philipe Seabra que tinha 14 anos, assistiu pela primeira vez um show punk ao vivo. Foi ali que começou a surgir a Plebe Rude. Após virarem amigos, Mueller convidou Seabra para montar uma banda.  Seabra, que era guitarrista,  fazia parte do  Caos Construtivo. Gutje Woorthman, que seria o baterista e fazia parte da Blitz 64, conheceu Seabra no show dos Metralhas. Gutje e André se revezaram na voz até  a entrada de Jander Bilaphra. O primeiro show da Plebe, ainda sem Bilaphra, aconteceu no Clube de Imprensa em 1981 com o Aborto Elétrico. As duas bandas começaram a tocar por Brasília.

Outros locais de shows bastantes comuns naquela época eram os festivais em colégios, como o Objetivo. Lá Marcelo Bonfá, que seria o baterista da Legião Urbana, conheceu o AE. O bar Cafofo, na Asa Norte, também era bastante utilizado pela primeira banda de Renato Russo aos domingos.  Enquanto isso, o movimento punk se espalhava e não se restringia somente a Colina. Dinho Ouro Preto, Dado Villa-Lobos, Pedro e Bi Ribeiro (Paralamas do Sucesso) e Marcelo Bonfá moravam na Asa Sul. A turma da Colina começou a crescer e a se espalhar. Outras bandas começavam a surgir…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s